domingo, 24 de fevereiro de 2013


UNIVERSIDADE DE BRASILIA
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL
CURSO: FORMAÇÃO EM EAD PARA TUTORES – NÍVEL 2
Daniel dos Santos Mangueira Leite
Polo da cidade de Tarauacá no estado do Acre

Qual o papel do Tutor no retorno (feedback), ao aluno do Ensino à Distância – EaD, das Atividades e/ou Tarefas do processo de aprendizagem on-line: quais os desafios, quais os cuidados e quais as possibilidades?
O retorno da atividade e/ou tarefa ao aluno faz parte de todas as modalidades de ensino, porém no ensino à distância tem um impacto amplificado, em razão da principal característica que a falta do face a face, entre: tutor-aluno-tutor-professor; este fator trás mudanças profundas nestas relações. Muitas informações realçadas pelas expressões corporais e faciais não acontecem nesta modalidade de ensino e sua falta pode dificultar, e muito, a comunicação entre todos os agentes.
No processo de comunicação do ensino à distância temos que compensar a falta do face a face com todos os recursos que as novas tecnologias digitais nos proporcionam, como por exemplo: comunicação através do skype e Hangout que nos permitem falar e ouvir o outro vendo o rosto da pessoa com quem estamos nos comunicando através de vídeo.
Além da possibilidade de comunicação através do vídeo, outras possibilidades como a comunicação através da escrita tem seu papel revisto e revitalizado, pois a escrita passa a ter o papel de algum tempo atrás servindo de histórico e registro de todo o processo envolvente. Os avanços tecnológicos estão trazendo possibilidades infinitas como pudemos observar no Seminário Educação Tecnologia com a Professora Suley Scherer: Telas dobráveis da espessura de uma folha de papel; uso cotidiano do sistema de localização GPS no trânsito integrado a rede mundial (internet) e tantos outros, se utilizados com metas e objetivos claros e bem definidos, podem elevar a qualidade de ensino no Brasil e no mundo a uma condição bem próximo da excelência de forma rápida e eficaz.
Os cuidados a serem observados destas novidades digitais e tecnológicas devem nos servir como ferramenta de obtenção da qualidade, afinal máquinas não pensam e a inteligência artificial é algo que ainda não aconteceu.
O desafio será, sempre, o de conseguirmos nos atualizar a medida do surgimento destas inovações o que me parece impossível. A criança e o jovem que já nasceu neste universo digital têm o domínio facilitado para o uso pleno destas ferramentas tecnológicas. O nosso desafio enquanto educador é de acompanhar este jovem e através da comunicação e construção compartilhada, caminharmos todos na direção da construção do conhecimento coletivo.
Postar um comentário