terça-feira, 13 de julho de 2010

Atividade 2 Unidade 1


Atividade 2

Qual o nome do programa e o canal que o exibe?
Nome: “Toma Lá Dá Cá”.
Canal: TV Globo, na cidade de Tarauacá por satélite canal 1.
Para qual público é destinado?
Para o público em geral sem uma destinação específica.

Quais os principais temas tratados no programa?
Cotidiano, situações engraçadas que se vive no dia-a-dia com uma visão engraçada e romântica e às vezes crítica também.


Quais são os valores sociais, culturais, éticos, políticos, religiosos afirmados e negados pelo programa?
Valores sociais: Relação “Patrão e Empregado”.



Miguel Falabella, Mário Jorge Marido de Celinha, Mário Jorge é corretor de imóveis e já foi surfista. Ele foi casado com Rita, sua colega de profissão, e compete com sua ex-mulher. Sua maior preocupação é a educação dos filhos, Isadora e Tatalo, de seu primeiro casamento.
Adriana Esteves, Celinha Casada com Mário Jorge, Celinha é uma dona-de-casa exemplar. Organizada nas tarefas domésticas e vaidosas em sua aparência, Celinha também se dedica a cuidar de Adônis, seu filho com Arnaldo, seu primeiro marido. Além disso, se preocupa com a irresponsabilidade da mãe, Copélia, que mora em sua casa. Centralizadora, ela não deixa de se meter na criação dos filhos de Mário Jorge com Rita - Isadora e Tatalo.
Marisa Orth Rita Competitiva e prática, Rita é corretora de imóveis e sonha em vender mais apartamentos que seu ex-marido, Mário Jorge. Atualmente casada com Arnaldo, Rita mora com os filhos, Isadora e Tatalo fruto do primeiro relacionamento. Sempre com pressa, Rita não tem tempo para cuidar da casa, muito menos para se preocupar com sua aparência, e por isso inveja as habilidades domésticas de Celinha.

Diogo Vilela Arnaldo Dentista, Arnaldo é casado com Rita, mas já foi marido de Celinha. Arnaldo mora no apartamento da mulher e divide o espaço com os filhos dela e de Mário Jorge: Isadora e Tatalo. É metódico e obcecado com seu trabalho, sempre procurando clientes ricos e famosos.

Alessandra Maestrini Bozena Diarista, Bozena alterna o trabalho no apartamento de Mário Jorge e Celinha com a faxina na casa de Rita e Arnaldo. Em cada apartamento, ela segue as ordens e o estilo da patroa. Com sotaque carregado, Bozena é paranaense e sempre conta histórias hilárias de sua cidade natal, Pato Branco. A diarista transita pelas duas famílias e se envolve nas confusões que elas arrumam.

Mário Jorge e Celinha representam os Patrões na trama e Bozena a empregada.
Celinha se associa a Bozena para vender cocadas no Jambaláya em função da crise financeira.
Valores culturais: É um programa televisivo, mas com características teatrais, reprodução ao vivo, com transparência dos erros durante a programação. Estas mesmas características existiam também no programa “Sai de Baixo” de criação do Miguel Falabella, algumas atualizações, uma roupagem diferente, com situações e personagens semelhantes.
Doutora Percy cria uma novela “Chama de Tupã” e chama Mário Jorge e Rita para protagonizarem os papéis de Peri e Ceci.

Valores Éticos: Críticas acentuadas às condutas antiéticas de Isadora Tatalo e Dona Álvara leva-nos a refletir muito sobre várias questões observadas no nosso dia-a-dia, como por exemplo: Taxas cobradas de forma irregular e até ilegalmente do condomínio “Jambaláya”, fato este que acontece constantemente e nenhuma providência pode-se tomar a respeito; é a nossa tão conhecida Impunidade.
Celinha descobre que Tatalo está envolvido em negócios escusos com dona Álvara quando tem o gás do apartamento cortado. Na segunda foto dona Álvara é encostada na parede por taxas extras para subsidiar a premiação da subsíndica.
Fernanda Souza Isadora Rebelde e namoradeira, Isadora gosta de chamar a atenção dos pais (Rita e Mário Jorge), do padrasto (Arnaldo) e da madrasta (Celinha). A jovem tem vocação para política corrupta. Copélia sua companheira de balada e falcatrua. É irmã de Tatalo.
George Sauma Tatalo Alienado e distraído, Tatalo raramente está informado do que acontece em sua casa, onde mora com a mãe (Rita), o padrasto (Arnaldo) e a irmã (Isadora). É motivo de preocupação também para seu pai (Mário Jorge), que não entende a personalidade aérea do filho. Às vezes, Tatalo surpreende a família com colocações sensatas, mas logo depois se “desliga da Terra” novamente.

Stela Miranda Álvara Conservadora e mandona, Álvara gosta de ser informada de todos os hábitos dos moradores do condomínio. Qualquer movimento estranho faz soar o alarme da síndica e ela prontamente se intromete na situação. E, como a rotina das famílias de Celinha, Rita, Mário Jorge e Arnaldo não é muito normal, Álvara tem o costume de visitá-los e vigiá-los.

Valores políticos: Representados em dois tópicos o ético e propriamente dito o políticos, também vários episódios retratam criticamente situações decorrentes de realidades tristes demonstrados de uma forma diferente e bem humorada, receita dos grandes mestres do humor: Chico Anísio, Walter D’Ávila, Jô Soares, Mazarópi e muitos outros.
Moradores do Jambaláya exigem bolsa-ditadura.

Valores religiosos: Por questões óbvias estes valores não são explorados, clara e livremente, geralmente estão nas entrelinhas de forma bastante sutil e suave.

Como são apresentados, por exemplo, o conceito de justiça, do trabalho, do amor, da diversidade sexual e ética, enfim, do mundo em que vivemos?

O humor tem uma vertente bastante interessante e em sua grande maioria esta vertente demonstra o que não fazer, pois é isso que é diferente e engraçado, mas este não poderia ser único a vertente tem de estar associada à crítica de o porquê não se deve praticar determinadas ações. Para o conceito de justiça no humor é representado pela injustiça, do trabalho o ato de não trabalhar (A vadiagem), do amor a traição o desamor e o desgosto, da diversidade sexual tratada de forma bastante descontraída e sempre na brincadeira e na gozação, como é o caso da suposta lésbica a Dona Deise Coturno (Norma Bengell). Merece um destaque muito especial a atuação de Copélia sua visão debochada e extremamente liberal em relação ao sexo permite abordagens complexas e difíceis sobre temas delicados ainda tabus nos dias atuais como as taras, utilização de acessórios durante o ato sexual, a liberdade natural que deveria existir e não existe a respeito de assunto tão polêmico. Mas tão cotidianamente praticado desde o surgimento do primeiro homem (Adão) e a primeira mulher (Eva) no sentido bíblico é claro. Com um roteiro muito bem escrito e uma atuação memorável da grande atriz Arlete Salles se permite abordar temas e discussões que normalmente neste horário não seria permitido e/ou aconselhável.

Arlete Salles Copélia Mãe de Celinha, Copélia tem o espírito jovem e é vaidosa. Depois de incendiar acidentalmente seu apartamento, Copélia vai morar com a filha, com o atual marido dela, Mário Jorge, e com o neto Adônis. Este, no entanto, está proibido de chamar Copélia de avó. Sua maior companheira de baladas é Isadora, filha de Mário Jorge e Rita.
Norma Bengell ficará até o final da temporada.

O programa propõe a reflexão desses conceitos, ou eles são passados como verdades absolutas de forma subliminar?
Sim o programa propõe às reflexões de todos os conceitos e declara como verdades absolutas à ética, moral, bons costumes e a justiça valores tão esquecidos nos dias atuais.
Como é retratado o papel do homem, da mulher e da criança, por exemplo? E dos homossexuais? E dos Negros?
Como dito anteriormente pelo exemplo contrário, ou seja, mostrando tudo aquilo que não se deve fazer. Quanto aos homossexuais retratados pela Dona Deise (lésbica, vulgo “Sapatão”) e o Senhor Ladir (homossexual assumido, vulgo “Gay”) são muito bem humorados e descontraídos assim como a Copélia e com a mesma excelência de interpretação transformam temas da mesma complexidade com a maior naturalidade. Quanto aos Negros de forma bastante sutil e delicada, mas sem muita exposição surge o tema raramente abordado como Negras trazidas de Angola para serem exploradas sexualmente pela Dona Álvara que nas entrelinhas trazem à tona a continuidade da escravidão que ainda não acabou só mudou os métodos; e a prostituição.
Para os fãs, esta notícia não é mara. Ítalo Rossi encerrou sua participação no Toma Lá Dá Cá.

Tatalo faz show de transformista e canta vestido de mulher para fugir da policia. Na segunda foto a transformista Charuba Massad traz notícias de Ladir que teria ido ao Marrocos para virar Dirla. Na terceira foto a Doutora Percy psicóloga de Adonis (interpretada pelo recém falecido de câncer e grande ator Miguel Magno), atende seus pacientes em local inusitado na piscina do condomínio “Jambaláya.

Daniel Torres Adonis Aflito com as questões da humanidade, Adonis é um rapaz àfrente de seu tempo. Ele censura as besteiras cometidas pelos pais, Celinha e Arnaldo, e pelo padrasto, Mário Jorge. Introspectivo, brilhante e vaidoso, Adonis lê clássicos da literatura e discorre sobre vários assuntos da atualidade, como o aquecimento global.
Como estes são caracterizados, ou seja, o que vestem, como falam, como andam, como são seus corpos, etc.?
Roupas extravagantes e incomuns, linguagem própria e específica, andam de forma caricata e espalhafatosa, excessivamente magro e fora do peso adequado.

Há algum padrão nesta caracterização, como um padrão de beleza, por exemplo, ou é valorizada a diferença?
Não vejo padrões.

Há alguma caricatura pejorativa?
Pejorativa não, me parece contrário a proposta do programa.

Na forma como os personagens são apresentados há reforço de algum estereótipo?
Também acredito não haver estereótipo.

E quanto às propagandas, quais são as veiculadas nos comerciais do programa?
Por não ter público e padrões próprios e estabelecidos os comerciais são genéricos e direcionados ao público em geral classificado por horário.
Os produtos anunciados são para o mesmo público que assiste ao programa?
Como disse anteriormente, genericamente, sim.

Que tipo de relação ideológica existe entre o programa e os produtos vendidos na propaganda?
Todo cenário gira em torno de um condomínio de classe média algumas relações estabelecidas e dirigidas a este público sem muita ênfase, como por exemplo: carros de passeio, imóveis, cosméticos e etc.

Este programa pode influenciar de alguma forma o comportamento da sociedade, seja na moda, no modo de falar, nos hábitos de consumo ou na forma de pensar, por exemplo?
Muitos programas influenciam de muitas formas os comportamentos sociais, como por exemplo: Jargão: “mara” (personagem Ladir), “prefiro não comentar” (personagem Copélia). Quanto ao modo de falar e os hábitos de consumo ficam por conta do involuntário e inconsciente que de acordo com muitos estudos funciona mesmo.

Como você avalia o impacto dela na sociedade brasileira?
Neste caso específico bastante positivo.

Se pudesse reescrevê-lo ou dirigi-lo, o que modificaria?
Não modificaria nada, faria todo o possível para prosseguir dentro da mesma linha e processo.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:


Site: http://www.globo.com/. Data 21/08/09.


Postar um comentário